A Igreja latino-americana está de festa!

A Conferência de Medellín (Colômbia) está celebrando 50 anos. Mas o que fez esse evento se tornar famoso? Foi a criatividade para assumir a libertação dos pobres, seguindo o espírito do Concílio Vaticano II.

O Concílio Vaticano II realizou-se entre os anos de 1962 e 1965. Esse é considerado o maior evento da Igreja e transformou radicalmente o rumo do catolicismo. A atenção “aos sinais dos tempos”, quer dizer, às situações emergentes, e às pessoas que mais sofrem pela pobreza, marginalização ou exclusão, e o “aggiornamento” (atualização) foram os temas fundamentais do encontro que reuniu bispos de todo o mundo e até mesmo convidados de outras igrejas e tradições religiosas.

O presidente do Conselho Episcopado Latino-Americano (Celam), Dom Manuel Larrain, convocou uma conferência-geral com o propósito de implantar na Igreja latino-americana as ações determinadas pelo Concílio. Porém essa conferência somente começou três anos depois da conclusão dos trabalhos do Vaticano II. Esse encontro foi realizado na cidade de Medellín, Colômbia, em 1968.

O continente latino-americano estava sob as garras de ditaduras e rebeliões. Os povos se debatiam em lutas, pobreza, injustiça e na dependência econômica, política e cultural dos países mais desenvolvidos. Ao mesmo tempo, ressoava por todos os lados o desejo ardente de mudança e transformação. Assim, diante desse cenário, a Conferência de Medellín insistiu na promoção e libertação do ser humano.

O foco principal da evangelização de Medellín foi a libertação integral do ser humano, a qual é fruto da conversão, a fim de que chegue a nós o Reino de Deus. Atualmente, qual será contexto social que envolve os povos latino-americanos?

A Conferência Medellín soube ler “os sinais dos tempos” e, por isso, colocou a situação dos pobres como centro da ação de evangelização e libertação. Para cumprir o objetivo proposto pelos bispos latino-americanos e caribenhos, inseriu na pastoral o uso do método “ver, julgar, agir”. Pois a missão da Igreja é a missão de Jesus: “Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância” (cf. Jo 10,10). A criação das comissões de Justiça e Paz em todos os países foi incentivada, a fim de que se realize a missão de Jesus e nossa.

Nos seus 50 anos, agradecemos e celebramos Medellín pelos frutos que ainda hoje nos ajudam a buscar caminhos da libertação à luz da fé.