Entrevista exclusiva com Pe Leomar sobre o livro “5 Pedras para não tropeçar”

Quem não quiser dicas para ser feliz, que atire a primeira pedra! Ou melhor, deixa ela quieta aí porque, às vezes, uma pedrinha inofensiva pode fazer um grande estrago.

São sobre outras pedrinhas que queremos falar hoje, mais especificamente sobre o livro “Cinco Pedras para não tropeçar: pistas para se viver a vida com sabor” do escritor Leomar Nascimento, que também é nosso professor do Curso de Teologia, que acontece aqui em nosso centro missionário.

O livro fala da existência de caminhos que ajudam na busca de uma vida com um sabor especial e a descoberta da felicidade através do uso de cinco expressões do nosso dia a dia, que causam um efeito benéfico surpreendentemente bom, capaz de transformar nossas vidas: “por favor”, “te amo”, “perdão”, “obrigado” e “parabéns”.

Batemos um papinho com o Padre Leomar sobre seu livro e ele nos contou algumas valiosas informações:

1)       Qual foi o motivo que o fez escrever este livro?

Sempre fui um apaixonado pela comunicação, de modo especial, pela comunicação interpessoal. Percebi que o descuido com este tipo de comunicação pode gerar problemas inimagináveis, que comprometem o todo da nossa existência. Creio que uma boa comunicação interpessoal seja, de fato, um dos principais motores para alcançarmos este objetivo.

2)       Por que “cinco pedras para não tropeçar”?

Tomo como base de minha reflexão o episódio bíblico da luta entre Davi e o filisteu Golias (ISm 17, 1-54). Davi só precisou de uma de suas cinco pedrinhas para derrotar o gigante Golias. “Golias” representa aquela comunicação truncada, agressiva, irônica que faz ruir as relações, que torna a vida humana insossa.  “Davi” é cada um de nós que busca se conhecer melhor, se superar, se comunicar adequadamente, para viver a vida com sabor. Se o herói desta história precisou apenas de uma pedrinha para derrubar seu inimigo, creio que nós, ao contrário, precisamos, ao menos, das cinco pedras apresentadas no livro: “por favor”; “eu te amo”; “perdão/eu te perdoo”; “obrigado” e “parabéns”.

3)       Você fez este livro baseado nas suas experiências pessoais? Conte um pouco sobre isso.

Sim. Dizem que desde criança fui sempre muito comunicativo. Em minha família, no meio de meus parentes e amigos, vivi sempre intensamente nossos relacionamentos. Entrando no seminário, precisei aprender a conviver com muitas pessoas bem diferentes de mim, com histórias e contextos bastante diversos. Estando à frente de vários trabalhos (presidente de obra social, pároco no interior, pároco fora do Brasil, responsável por padres e seminaristas etc.), precisei (e preciso) aprender a gerir muitos conflitos. Todo este emaranhado de experiências só aguçou o meu desejo de conhecer melhor o mundo da comunicação. No livro, portanto, partilho experiências, instigo questionamentos e convido ao cultivo da espiritualidade. Ali pretendo dividir com meus leitores o desejo de aprofundar e de compreender – sem ter a pretensão de esgotá-lo – o fascinante mundo da comunicação humana no ordinário da vida,  a partir das cinco pedrinhas.

4)       Qual é a lição mais importante que podemos aprender com as 5 pedrinhas.

Se é verdade que não existe uma receita para ser feliz, também é verdade que existem caminhos que nos auxiliam na busca para vivermos com sabor nossa existência, para nos sentirmos vivos e protagonistas de nossa própria história. Um deles é uma boa comunicação interpessoal, expressa nas cinco pedrinhas. Evidentemente não se trata de uma mágica, de palavras que por si só darão um novo sabor à nossa vida.

Leomar Nascimento de Jesus, natural de Goiás (GO), mestre em Teologia pela PUC-SP, é presbítero da diocese de Santo Amaro (SP). Tendo exercido o ministério sacerdotal no Mato Grosso do Sul e Sul da França, atualmente é pároco da paróquia São João Batista e capelão do lar de idosas “Assistência Vicentina Vila Mascote”, em São Paulo (SP).