A vocação da família

Estamos no Mês Vocacional, e hoje vamos refletir sobre a vocação da família. Como assim? A vocação da família? Isso mesmo! A vocação da família, pois é uma vocação que tem sua origem em Deus.

O plano de Deus é que toda pessoa participe de sua vida, por isso a criou à sua imagem e semelhança. Para realizar essa vocação, o ser humano deve se conformar a Jesus, o Filho de Deus.

A família está presente no projeto de Deus para a humanidade, narrado nos textos bíblicos. Neles a vocação da família está inserida numa caminhada marcada por situações de contradição, pela busca de felicidade, pela presença da dor e da morte, pelo trabalho que sustenta, pela ternura das relações entre pais e filhos, e pela entrada de Deus na história, por meio de uma família humana.

Nos diversos contextos, a sociedade muda, e as famílias participam dessa mudança também em seus modos de viver e pensar. Portanto, hoje, as famílias nem sempre correspondem a um único modelo.

Contudo a vocação da família é uma só e pode ser mais bem compreendida por meio da afirmação que o Papa Francisco faz na exortação Amoris Laetitia: “O Deus Trindade é comunhão de amor; e a família, o seu reflexo vivente” (cf. n.º 11).

O que você faz para que sua família seja imagem do amor de Deus Trino?

O capítulo 3 dessa exortação insiste na vocação da família como mistério que só se pode compreender à luz do amor infinito de Deus Pai manifestado em Jesus Cristo (cf. n.º 58).

O matrimônio é uma vocação para viver o amor conjugal como sinal do amor entre Cristo e a Igreja. Por isso a decisão de casar-se e formar uma família deve ser fruto de um discernimento (cf. n.º 72).

A família tem de ser experiência de serviço, hospitalidade, acolhimento e vivência da justiça e da fé, pois Jesus Cristo confiou às famílias a própria missão.

E você, já se perguntou qual é a missão de sua família dentro da Igreja e da sociedade?

Irmã Juana Ortega, SSpS