Desenvolvimento sustentável: sua anatomia

Acompanhamos, no dia a dia, o quanto o ser humano está destruindo o meio ambiente. O crescimento das cidades, as indústrias e os veículos estão causando transtornos para o ar, o solo e as águas. O desenvolvimento é necessário, porém o ser humano precisa respeitar o meio ambiente, pois dependemos dele para sobreviver neste planeta. É importante que haja a viabilidade econômica nas ações voltadas para a produção de bens e serviços, porém estes não devem comprometer o futuro das próximas gerações.

Desenvolvimento sustentável significa obter progresso econômico necessário, garantindo a preservação do meio ambiente e o avanço social para o presente e gerações futuras. Portanto, para que ocorra o desenvolvimento sustentável, é necessário que haja uma harmonização entre a prosperidade econômica, a preservação do meio ambiente, a justiça social (acesso a serviços públicos de qualidade), a qualidade de vida e o uso racional dos recursos da natureza (principalmente a água).

No Brasil, assim como nos outros países emergentes, a questão do desenvolvimento sustentável tem caminhado de forma lenta. Embora haja um despertar da consciência ambiental no País, muitas empresas ainda buscam somente o lucro, deixando de lado as questões ambientais e sociais. Ainda é grande, no Brasil, o desmatamento de florestas e o uso de combustíveis fósseis. Embora a reciclagem de resíduos tenha aumentado nos últimos anos, ainda é muito comum a existência de lixões ao ar livre. A poluição do ar, de rios e solo ainda são problemas ambientais comuns em nosso país.

A Assembleia-Geral da ONU (Organização das Nações Unidas) definiu 2017 como o Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento. Mas, para que este se torne possível, é preciso um plano de ação para as pessoas, para o planeta e para a prosperidade. É preciso fortalecer a paz universal e com mais liberdade. É necessária a erradicação da pobreza em todas as suas formas e dimensões, incluindo a pobreza extrema, que é o maior desafio global e um requisito indispensável para o desenvolvimento sustentável.

Todos os países e todas as partes interessadas, atuando em parceria colaborativa, podem realizar esse plano. É preciso libertar a raça humana da tirania da pobreza e da penúria, e curar, proteger o nosso planeta. É preciso tomar medidas ousadas e transformadoras que são urgentemente necessárias para direcionar o mundo para um caminho sustentável e resiliente.

Assim, precisamos de metas que busquem concretizar os direitos humanos de todos e alcançar a igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres e meninas. Elas são integradas e indivisíveis, e equilibram as três dimensões do desenvolvimento sustentável: a econômica, a social e a ambiental.

  • Em relação às pessoas: tem o objetivo de acabar com a pobreza e a fome, em todas as suas formas e dimensões, e garantir que todos os seres humanos possam realizar o seu potencial em dignidade e igualdade, em um ambiente saudável.
  • Em relação ao planeta: tem o objetivo de proteger o planeta da degradação, sobretudo por meio do consumo e da produção sustentáveis, da gestão sustentável de seus recursos naturais e tomando medidas urgentes sobre a mudança climática, para que ele possa suportar as necessidades das gerações presentes e futuras.
  • Em relação à prosperidade: tem o objetivo de assegurar que todos os seres humanos possam desfrutar de uma vida próspera e de plena realização pessoal, e que o progresso econômico, social e tecnológico ocorra em harmonia com a natureza.
  • Em relação à paz: tem o objetivo de promover sociedades pacíficas, justas e inclusivas que estão livres do medo e da violência. Não pode haver desenvolvimento sustentável sem paz e não há paz sem desenvolvimento sustentável.
  • Em relação à parceria: tem o objetivo de mobilizar os meios necessários para realizar uma revitalizada parceria global para o desenvolvimento sustentável, com base num espírito de solidariedade reforçada, concentrada em especial nas necessidades dos mais pobres e mais vulneráveis, e com a participação de todos os países, todas as partes interessadas e todas as pessoas.

Se essas ambições forem realizadas em toda a extensão, a vida de todos será profundamente melhorada e nosso mundo será transformado para melhor.

Ir. Luciana Rzepka, mestra em Teologia e pós graduada em Ciências das Religiões, leciona no Curso Mater Ecclesiae e realiza diversos trabalhos sociais.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *