O que foi o Tríduo Pascal?

Um evento importantíssimo para os cristãos é a paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo. Na verdade é o mistério pascal que dá todo o sentido ao cristianismo e à nossa fé. Sem o sacrifício de Jesus, não haveria salvação para nós. E adivinhem só quando aconteceu isso? Durante a Semana Santa!

Queremos voltar um pouco na história pra você entender de verdade o sentido do Tríduo Pascal ou período que vai da Quinta Feira Santa até o Sábado de Aleluia e porque estes dias são tão celebrados pelos cristãos. Veja só:

Contextualizando

Quinta feira Santa

 É o dia que Jesus celebra a Santa Ceia com os seus discípulos e transforma o pão no seu corpo e o vinho no seu sangue como sinal de sua eterna aliança conosco. Foi quando Ele instaurou a Eucaristia e também o sacerdócio, quando disse para continuar a repetir esta ceia e memória dele.

Nesta última ceia com os discípulos, Jesus predisse que seria traído e, a partir deste momento, Ele tinha plena consciência do que iria acontecer e que sua missão no mundo estava prestes a ser completada. Depois na ceia, foi para o Horto das Oliveiras onde passou os seus momentos de maior aflição, chegando até a suar sangue. Angustiado, Ele suplicou ao Pai: “Meu Pai, se for possível, afasta de mim este cálice, contudo seja feita a Tua vontade”  (Mateus 23,42).

Depois disto ele foi traído por Judas com um beijo e foi levado à julgamento no Sinédrio, onde sofreu maltratos durante toda a noite.

Sexta Feira Santa 

Pela manhã levaram Jesus a Pôncio Pilatos (o procurador romano) para que este o condenasse a morte. Embora ele não estivesse muito tranquilo com a ideia de condenar Jesus (pois não via nele crime algum), se sentiu pressionado pelo povo e pelos  sacerdotes e entregou Jesus para eles.

Como era festa, o costume local permitia soltar um prisioneiro e Pilatos perguntou as pessoas qual prisioneiro eles queriam que fosse solto: Jesus ou Barrabás, um assassino. Mas o povo, manipulado pelas autoridades judaicas, escolheu Barrabás.

A partir daí as torturas e humilhações começaram. Colocaram uma coroa de espinhos em sua cabeça, uma capa vermelha em seus ombros, deram murros, chicotadas e o fizeram carregar uma pesada cruz ao monte chamado “Calvário” no qual ele foi crucificado e morto, entregando sua vida em sacrifício por todos nós.

A história de sua paixão foi contada em detalhes nos quatro Evangelhos. Vale a pena ler.

Sábado Santo

O Sábado Santo, também conhecido como Sábado de Aleluia, é um tempo de silêncio, em que os discípulos vivenciaram a dor da perda de seu Mestre querido. Jesus está sepultado e uma grande pedra fecha a entrada de sua tumba.

Mas a morte não tem a última palavra, porque o amor de Deus é mais forte do que tudo. Por isso, no sábado à noite celebramos a Vigília Pascal, uma celebração com uma simbologia muito rica. Antigamente a Vigília Pascal durava toda a noite e ia até o romper da aurora quando se celebrava a ressurreição de Jesus.

Atualmente a vigília dura cerca de duas horas. Começa do lado de fora da igreja com os fiéis ao redor de uma fogueira. O fogo é abençoado e com ele acende-se o círio pascal, uma grande vela que representa a luz de Cristo Ressuscitado.

Todos entram na igreja escura e conforme o sacerdote vai entrando com o círio aceso, os fiéis vão acendendo suas velas a partir da luz do círito pascal iluminando toda a igreja.

As leituras, os salmos e os cânticos relembram toda a história da salvação, desde a criação do mundo, passando pela libertação do povo de Israel até a chegada de Cristo.

Nesse dia também se faz a bênção da água, a renovação das promessas do batismo e, em alguns lugares, também batizados, pois na igreja primitiva era quando as pessoas que abraçavam a fé cristã recebiam o batismo.

É uma celebração cheia de alegria pela vitória de Cristo sobre a morte e que traz a esperança que cada um de nós também ressuscitará.

Uma boa páscoa para você!