Perseguição de cristãos acontece ainda hoje

Em nosso País e na América Latina, temos muitos mártires que foram assassinados por defenderem os direitos dos pobres e excluídos ou por abraçarem causas sociais, como consequência de seu compromisso de fé e valores humanos. Entre os cristãos assassinados aqui no Brasil, temos o operário Santo Dias da Silva, a sindicalista Margarida Maria Alves, a religiosa Ir. Dorothy Stang, o padre Josimo Tavares e tantos outros que perderam a vida por defender a justiça e o direito dos mais vulneráveis.

Mas, além desse tipo de perseguição que atinge lideranças, ativistas e pessoas que se tornam conhecidas por suas lutas, há uma às vezes disfarçada, outras vezes escancarada que atinge cidadãos comuns, famílias e comunidades inteiras em diversos países do mundo.

A perseguição se apresenta de diferentes formas. Vai desde o preconceito e a perda de direitos políticos e sociais, como emprego, direito à educação e outros públicos, até prisão e assassinato.

Dia Internacional de Oração pelos Cristãos Perseguidos

Em solidariedade aos cristãos que sofrem perseguição, a fundação pontifícia “Ajuda à Igreja que Sofre” (ACN) criou o Dia Internacional de Oração pelos Cristãos Perseguidos. Em 2019 a data é comemorada em 4 de agosto. Com o apoio da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), a ACN está realizando uma campanha que inclui cartazes, orações e o vídeo a que você vai assistir a seguir.

O Dia de Oração pelos Cristãos Perseguidos é uma resposta ao que aconteceu na noite de 6 de agosto de 2014, quando milhares de cristãos fugiram do norte do Iraque, expulsos pelos extremistas do grupo Estado Islâmico. A região concentrava 25% dos cristãos do país e algumas minorias muçulmanas ameaçadas.

A fuga ocorreu à noite, com milhares de pessoas caminhando pelas estradas em direção às cidades curdas de Erbil e Dohuk. “Cerca de 100 mil cristãos, aterrorizados e em pânico, fugiram de suas casas sem nada, somente com as roupas do corpo, a pé, rumo às cidades curdas. Entre eles, havia doentes, idosos, crianças e mulheres grávidas, precisando de água, comida, medicamentos e um lugar para ficar”, declarou na ocasião o patriarca Louis Raphael Sako, chefe da Igreja Católica Caldeia.

Assim que recebeu as primeiras informações, na manhã do dia 7 de agosto daquele ano, a ACN mobilizou os benfeitores e iniciou campanhas e projetos para socorrer materialmente e espiritualmente os perseguidos e refugiados. Desde então, a Fundação Pontifícia já realizou mais de 2 mil projetos no Oriente Médio, direcionando esforços para alimento, abrigo e educação dos refugiados.

Segundo a ACN, o ano de 2019 é um dos mais sangrentos para os cristãos. No Domingo de Páscoa, o Santuário de Santo Antônio, no Sri Lanka (foto), foi alvo de um dos ataques que tiraram a vida de mais de 200 pessoas.

Reze conosco esta oração em favor dos cristãos perseguidos

Senhor Jesus Cristo, Vós nos ensinastes a rezar ao Pai em vosso nome e nos assegurastes que tudo o que pedíssemos nós receberíamos. Por isso, nós nos dirigimos a vós com total confiança, pedindo-lhe a graça e a força de perseverar nesta tempestade, para alcançar a paz e a segurança, antes que seja tarde demais.

Esta é a nossa oração e, embora pareça impossível para nós, confiamos a vós a nossa sobrevivência e nosso futuro.

Ajude-nos, Pai, em nome de seu Filho crucificado e ressuscitado, Jesus, para continuarmos a trabalhar juntos; para sermos livres, responsáveis e amorosos; para encontrarmos a vossa vontade e fazê-la com alegria, zelo e coragem.


Em Caná, a Mãe de Jesus foi a primeira a notar que não havia vinho. Pela intercessão de Maria, pedimos-lhe, Pai, para mudar a nossa situação – como vosso Filho transformou a água em vinho – da morte para a vida.


Amém.


† Patriarca Caldeu Louis Raphael Sako