Tempo da Criação: rezar e cuidar da natureza

Desde 2015, o dia 1º de setembro está inscrito no calendário católico como o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação. A iniciativa partiu da Igreja Ortodoxa, que celebra esta data desde 1970, portanto há 50 anos, e foi assumida pelo Papa Francisco com o propósito de chamar toda a humanidade a uma conversão ecológica e criar relações sustentáveis e de cuidado com o mundo que nos rodeia. A iniciativa ajuda a proteger a Criação e fortalece a comunhão com nossos irmãos ortodoxos.

No domingo, após a oração do Ângelus, o Papa se referiu à comemoração de 1º de setembro: “A partir desta data, até 4 de outubro, celebraremos, com nossos irmãos e irmãs cristãos de várias Igrejas e tradições, o ‘Jubileu da Terra’, para comemorar o estabelecimento, 50 anos atrás, do Dia Mundial da Terra”.

Por intermédio da Secretaria das Missões de Roma, as missionárias servas do Espírito Santo foram incentivadas a celebrar este dia e promover atividades durante o “Tempo da Criação”, que abrange o período de 1º de setembro a 4 de outubro, com a festa de São Francisco de Assis, patrono da natureza. Entre as atividades sugeridas, estão um dia de oração pelo cuidado da criação, organização de seminários na web, reflexões e retiros sobre a Encíclica Laudato Si’, atuação sobre os objetivos do desenvolvimento sustentável, participação no Dia Mundial dos Migrantes e Refugiados, entre outras.

Este “Tempo da Criação” de 2020 é uma forma de nos unir aos 2,2 bilhões de cristãos no mundo inteiro, como uma família global que se compromete e cuida de sua casa comum, o planeta Terra.
Para ajudar a celebrar este dia e animar a oração pessoal e comunitária, trazemos um vídeo, a “Oração para o Tempo da Criação 2020” e ainda um poema que fala da presença do Espírito Santo na criação.

Louvor ao Espírito Santo
Lúcia Caffer Neves

Toda terra canta na mais forte vibração de amor.
A natureza de horizonte a horizonte
entoa um salmo eterno em teu louvor.

Tu, que tudo animas, que dás sabor à vida,
vem, vem habitar em nós.


A criação se alegra e glorifica ao mais alto Ser,
num coro imenso celebrando a vida,
que sempre renasce em cada amanhecer.

Tu, luz peregrina, que o mundo extasia,
vem, vem habitar em nós.


Toda a terra ama numa exuberante explosão de cor,
desde a floresta que procura o rio,
desde a abelinha quando busca a flor.

Tu que te derramas em graças tantas,
vem, vem habitar em nós.


Toda a terra ama: homens e feras e animais das matas,
aves e peixes, borboletas, flores, montes e vales,
fontes e cascatas.

Tu, força infinita que geras a vida,
vem, vem habitar em nós.


Toda a criatura exulta e vibra ao bafejo teu,
para beber do manancial da graça
tanta delícia que lhe vem do céu.

Tu, presença viva, que o mundo renovas,
vem, vem habitar em nós.