Testemunho de um missionário verbita que se evangelizou com sua missão

São José Freinademetz nasceu na Itália, nas Montanhas das Dolomitas, no Tirol. A formação de suas raízes religiosas primariamente foi feita pelas devoções de sua família. Diariamente, rezavam o rosário nas intenções missionárias.

Mais tarde, sentindo a vocação ao chamado sacerdotal, fez os estudos de Teologia no seminário de Bressanone. Depois de um tempo, sentiu que sua vocação era ser missionário e conheceu a Congregação do Verbo Divino. Foi para Steyl, Holanda, onde Santo Arnaldo Janssen estava fundando a Congregação.

O primeiro passo foi dado enquanto José Freinademetz superava os obstáculos dos idiomas. Ele era ladino, com sua própria língua, foi estudar Teologia em Alemão e, em sua região, também se fala italiano.

O missionário foi enviado para a China por sua Congregação do Verbo Divino. Ele sempre foi pessoa simples e humilde, verdadeiro homem de Deus. Sabia que era para sempre e que não voltaria para suas montanhas. Ele levava no coração o envio para evangelizar outros povos.

Chegando à China, teve problemas em aprender outra língua e cultura, além de enfrentar um mundo hostil a uma evangelização colonialista daquele tempo. Até na própria comunidade, nem sempre foi fácil a convivência. Mas o missionário, dotado de uma fé profunda e com uma vontade férrea em propagar a Palavra de Deus, foi superando as muitas dificuldades. Naquele ambiente, o padre José foi descobrindo que o Espírito Santo atua por meio das pessoas e culturas para as quais havia sido enviado, passando por sua própria conversão primordialmente.

Santuário

Quando voltei de minha missão no Paraguai para trabalhar na Itália, foi-me proposta a construção do Santuário, com uma igreja, museu e hospedagem para grupos de retiro. No primeiro momento, achei que era uma grande pretensão poder contribuir para essa obra no lugar onde o santo tinha marcado a vida de muitas pessoas.

Com o tempo, aceitei o desafio, porque senti que era um processo pelo qual eu poderia me identificar com os valores aprendidos na missão e que enriqueceriam os peregrinos que passavam por Oies, na busca de um lugar tranquilo onde poderiam rezar e meditar a vida missionária com o exemplo de São José Freinademetz. Um ambiente sossegado, onde as pessoas vão ao encontro com elas mesmas e se abrem à escuta de Deus. Gostei dessa motivação que estimulou minha caminhada como verbita missionário, podendo incluir um testemunho que é muito animador e inspirador na obra de Deus.

A cada vez que vou à Itália, passo vários dias na Casa do Santo, buscando entender como ele segue acompanhando a mim e a tantos outros verbitas e peregrinos em busca de respostas valiosas, até o dia de hoje, aos desafios na missão.

É uma graça que Deus me proporciona quando sinto essa aproximação e que me guia no dia a dia, no meio de um discernir o que é de Deus e o que posso abandonar. Daqui, vejo o quanto são importantes os testemunhos de vida que deixamos trilhar neste mundo e que fazem a diferença de uma vida plena, com uma espiritualidade com o pé no chão, perto do povo, percebendo a vontade de Deus em nossa vida.

Agradeço essa possibilidade de comunicar, com carinho e alegria, o que me faz mais verdadeiro como missionário verbita.

Irmão Paollo Delucca, SVD.