Ecos da missão SSpS no mundo

Um momento importante no decorrer do Capítulo-Geral das irmãs missionárias servas do Espírito Santo (SSpS) é a partilha da missão. A missão da Congregação, dom para a Igreja Católica, é nossa missão comum. A partilha mostra um pouco do trabalho realizado nos cinco continentes, com a diversidade de culturas e experiências missionárias. Além disso, relata desafios que as irmãs enfrentam onde estão inseridas. 

A troca de experiências no 15º Capítulo-Geral, realizado em Roma, entre 12 e 31 de janeiro de 2022, foi numa data significativa: o dia de Santo Arnaldo Janssen (15 de janeiro).

Para conhecermos mais um pouco sobre nossa missão no mundo, apresentamos alguns elementos partilhados pelas equipes continentais. 

África

A Congregação está presente em dez países africanos: África do Sul, Angola, Benin, Botsuana, Etiópia, Gana, Moçambique, Togo, Uganda e Zâmbia. 

O multiculturalismo e a variedade de idiomas em um mesmo país são alguns de nossos desafios na África. “Viver em comunidades internacionais é um testemunho de unidade em meio a conflitos políticos e étnicos. A diversidade, quando respeitada, pode levar a um pensamento inovador.”

As irmãs encontram muitas provações na vida entre o povo africano, como a violência gerada pela instabilidade política e econômica, a violação dos direitos humanos, o desemprego e a pobreza, a carência de vocações nativas; dificuldade de treinamento e formação permanente de leigos, os parceiros na missão, a fim de prepará-los para assumir e continuar nossas atividades pastorais.

Muitas são as necessidades do povo, mas deparamo-nos com o número reduzido de irmãs, insuficiente para a missão, e ainda a dificuldade quanto à falta de recursos. Queremos ressaltar a colaboração dos leigos e com ela é muito apreciada e bem-vinda por nós, irmãs.

Europa

As SSpS, hoje, na Europa, fazem sua reflexão em torno da questão da transformação e o esforço em descobrir novas maneiras de se reorganizar na missão continental. Estamos presentes em 15 países europeus mais a Casa-Geral, em Roma: Alemanha, Áustria, Eslováquia, Espanha, Holanda, Inglaterra, Irlanda, Itália, Grécia, Portugal, Polônia, República Tcheca, Romênia, Rússia e Ucrânia. 

No continente europeu, as irmãs destacam a riqueza do multiculturalismo; a colaboração entre as províncias; o uso da tecnologia para a missão; a opção pelos refugiados, migrantes, marginalizados; e o esforço em cuidar da Criação.

Na missão, encontram também situações desafiadoras de secularismo e a perda de credibilidade da Igreja, a xenofobia, o medo dos refugiados, dos migrantes e dos diferentes, visões cristãs fundamentalistas e outras que desafiam as SSpS a dar uma resposta missionária.

Américas

As SSpS estão presentes na América do Norte, na América Central e na América do Sul: Antígua e Barbuda, Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Cuba, Equador, Estados Unidos, Jamaica, México, Paraguai e São Cristóvão.

As irmãs destacaram como necessidades essenciais a reestruturação das províncias e regiões (organização interna da Congregação no mundo) e, com os leigos, desenvolver uma relação de igualdade, inclusão e confiança na missão. Ter em conta a partilha de recursos humanos e econômicos, a mudança de mentalidade holística e aberta à atual realidade social, política, econômica e eclesial de forma mais sinodal e dinâmica. 

Houve destaque também para a formação dos leigos, com base em nossa espiritualidade e carisma, por serem nossos braços abertos na missão.

Ásia-Pacífico

As SSpS estão presentes na Austrália, Coreia do Sul, Filipinas, Índia, Indonésia, Japão, Papua-Nova Guiné, Taiwan e Timor-Leste. Na Ásia-Pacífico, estão presentes 53% das irmãs da Congregação (2020). Foi destaque, na apresentação, a crescente colaboração e rede para a missão com congregações religiosas, instituições eclesiásticas, leigos, pessoas de diferentes religiões, profissionais, especialistas e grupos governamentais. 

Muitas são os desafios enfrentados pelas irmãs, especialmente a proliferação de violações de direitos humanos e problemas sociais, violência, tráfico de pessoas, abuso sexual on-line, abuso de crianças em casa, intolerância religiosa, desigualdade social (fosso entre ricos e pobres), corrupção, injustiça, hostilidade, destruição ambiental e desmatamento, e muitos outros.

Terminado esse rico momento, as irmãs presentes no 15º Capítulo-Geral foram convidadas a retomar a missão no mundo, partilhada por meio dos relatórios das irmãs e demais informações compartilhadas. Ter diante de si a visão geral da Congregação nos continentes e, em oração, refletir por onde o Espírito Santo quer nos conduzir e descobrir caminhos para o futuro, à luz do mesmo Espírito que guia a Igreja hoje.

Irmã Hermelinda Maria Ruschel, SSpS

Membro da Equipe de Comunicação SSpS Brasil.