Psicólogo propõe métodos para vencer a ansiedade

Nos últimos anos, mais e mais pessoas revelam sua luta contra a ansiedade, uma companhia constante e indesejada. Esse é um dos problemas de saúde mental mais comuns atualmente. “Em nossos dias, com tantas coisas para fazer, parece que a pessoa anda correndo demais, sempre fazendo as coisas às pressas! E a ansiedade em alta”, constata o psicólogo Edson Castro. “Por que tem de ser assim?”, ele questiona.

Os pensamentos tortuosos e negativos empurram a pessoa para um estado cada vez mais ansioso. A ansiedade não apenas gera mais ansiedade e medo, mas também causa reações físicas. O corpo responde, liberando cortisol e outros hormônios do estresse que podem levar a um conjunto de sintomas que vão desde palpitações cardíacas, sudorese e tontura a nervosismo, rubor, dificuldade de concentração, erupções cutâneas, e muito mais. Além disso, viver com ansiedade pode ser uma experiência que leva ao isolamento.

“Não nascemos sabendo como lidar com nossas emoções, sobretudo a ansiedade. Ao longo do tempo, aprendemos, por erros e acertos, como administrá-la”, afirma Castro. A ansiedade leve pode ser vaga e perturbadora, enquanto a severa pode afetar seriamente a vida cotidiana.

O psicólogo defende que a ansiedade precisa ser controlada, para que possamos viver bem. Para superar a ansiedade, ele propõe três métodos:

1 – observar como determinado pensamento surgiu;
2 – deixá-lo ir embora, não lutar contra ele, mas pensar em algo positivo;
3 – dizer para si mesmo: “Está tudo bem”.

Quando se está com raiva, tenso ou com medo, os músculos ficam tensos, e a respiração fica superficial, constrita. Nesse momento, o corpo de uma pessoa não está recebendo a quantidade necessária de oxigênio. A respiração longa e profunda reverte esse processo, permitindo que o corpo e a mente fiquem mais calmos. Inspirar, expirar, proceder a algumas respirações profundas todos os dias pode trazer uma melhoria intensa no estilo de vida das pessoas, sugere Castro.

Ele prossegue dizendo que quem está ansioso se preocupa em demasia com o futuro. É o conflito entre o presente e o futuro. Na verdade, o futuro não existe, ainda não chegou. O passado já se foi, e o que temos é o momento presente, o “aqui e agora”.

Autoconhecimento é a atitude de buscar saber sobre os próprios pensamentos e emoções. “Tem a ver com quando uma pessoa para de buscar respostas fora e começa a buscar dentro si mesma. Quando ela para, silencia-se, todas as coisas da vida ganham um novo sentido e fazem uma nova história de sua vida”, explica.

Castro propõe observar os pensamentos, a respiração e também a forma de fazer as coisas. Ele recomenda que a pessoa reserve um momento para se centrar e trazer-se de volta ao momento presente. “Quando você estiver tomando uma refeição, procure se conectar naquele momento, sinta o sabor dos alimentos, mastigue devagar, aproveitando e agradecendo por aquele momento. O sentimento de gratidão ajuda a ter pensamentos positivos.”

Para o psicólogo, quando um indivíduo diz “está tudo bem”, é como que se abraçasse. “Isso é cuidar de mim. Consequentemente, eu cuido daqueles que estão a meu redor, porque, se eu estiver bem comigo mesmo, estarei bem para o outro. O resultado é imensa paz e alegria. Com o tempo, eu me torno mestre de mim mesmo! Aprenda a administrar sua ansiedade e aprenda mais sobre você. Invista mais no seu autodesenvolvimento”, aconselha.

Assista ao vídeo:

Como administrar minha ansiedade?

Neste vídeo, eu faço uma reflexão sobre a administração da ansiedade. E como funcionam os nossos pensamentos, e a forma como lidamos com as nossas emoções.

Publicado por Edson Castro Psicólogo em Segunda-feira, 6 de julho de 2020